Amanhã é domingo !


Jerusalém, 29 de maio de 2011.

Nos últimos posts falei sobre algumas coisas que tenho feito para economizar aqui em Israel, que minha família não tem gostado, e sei que muuuuita gente deve estar achando errado, pensando que eu estou passando fome, passando mal e que acha que isso não é aproveitar bem uma viagem.Vai ser difícil, mas vou tentar me explicar para quebrar essa ideia.
Tudo isso depende da nessecidade de conforto que cada um exige para si. A respeito da alimentação, não é porque eu comi sanduíche no lugar de um prato de comida que eu estou passando mal. É normal nós comermos pão com sardinha, ou alguma coisa barata comprada em mercadinho, e nem por isso vou ficar desnutrido, pois no dia seguinte como algumas frutas e fica tudo bem. Passar mal seria ficar uma semana comendo só pão com água! Isso eu nunca fiz. Entendam isso, comer coisas mais baratas por uns dias, de forma alguma tira o brilho da viagem pra mim e  é absolutamente normal durante uma mochilada. Eu nem precisaria estar explicando isso, mas tenho certeza que muita gente tem ideias diferentes sobre o assunto. E acha que “para viajar dessa forma, é melhor nem sair de casa”.
 Essa é uma concepção mochileira da coisa, por isso não tenho vergonha de falar. É absolutamente normal comprar coisas em mercadinhos para fazer refeições dos próximos dias em que estaremos em cidades caras. E tudo isso é divertido, é piquenique. Não existe o papo de: opa, estou nesse país legal, qual restaurante você me recomenda?... gosto sim de experimentar e apreciar as comidas típicas de cada país, como fiz em toda a Ásia, mas tem lugares muito caros que não podemos fazer isso. Por exemplo, eu não estou deixando de conhecer a comida local aqui pois já provei bastante coisa da comida árabe na Jordânia, que não era cara, e aproveitei bem os pratos e doces árabes, que são quase iguais aos pratos daqui de Israel. E não tem problema de não ter uma comida tão nutritiva de vez em quando, até quando estamos em casa às vezes comemos só café com pão de noite, por não ter nada pronto pra o jantar..., então qual é o problema?
Quanto a dormida, como disse no outro post também; nós, os “mochileiros ortodoxos”, não nos importamos muito com isso. E também não vejo isso como estar “dormindo mal”. Concordo que uma noite mal dormida estraga o nosso humor e não aproveitamos direito o dia seguinte. Mas o que eu preciso para ter uma noite boa de sono é um lugar que eu consiga dormir,só isso, se eu conseguir dormir está bem. Não precisa ser tão confortável. Tem gente que até em sua própria cama em casa, não dorme bem por insônia, preocupação, sei lá. Eu consigo dormir bem em muitos lugares. ...Tenho dificuldade de dormir em poucas sitiações , tipo sentado em cadeiras que não reclinam de ônibus que sacodem muito de madrugada ou quando está fazendo muito calor ou frio....rsrsrsrs
Dormir em lugares diferentes também é divertido, pode reparar... em casas de praia em fins de semana quando reúne uma moçada, a galera dorme no chão um por cima do outro e tudo aquilo é uma festa, ninguém sai reclamando, e sim rindo no dia seguinte. Mochilar é isso, viver num eterno fim de semana, onde tudo é divertido, nada é sério e para sempre. Me divirto muito mais dessa forma relaxada, sem regra nenhuma sem padrão de comportamento e sem o pessimismo que faz muita gente ter medo de fazer o que gosta. Tanta coisa bacana pra se fazer no mundo, e muita gente não faz com medo de dar errado ou ser assaltado... nunca pensa na hipótese de dar certo, depois sair vivo e feliz por ter vivido uma experiência diferente.  Quem já fez algum mochilão longo  vai me entender melhor por já ter passado por várias situações desse tipo.
Em relação à higiene, mochilar não significa abrir mão da higiene corporal e ficar sujo e fedorento como muita gente pensa, sempre tenho no albergue banheiro   para tomar banho normalmente e lavo minhas roupas normalmente também, o que não tenho é roupa passadinha, mas isso ninguém repara. Até quando dormi na areia do deserto na Índia, tinha minha garrafinha de água para escovar os dentes antes de dormir.   
Se todos vivessem uma vida, como estou vivendo nesses últimos meses, sem medo e sem vergonha de fazer o que gosta, dando mais importância para suas vontades, se divertindo e achando tudo isso(a vida...) uma grande diversão, tenho certeza que todos viveriam mais felizes. Depois de tantos meses viajando, a viagem se tornou meu modo de vida, e não uma viagem de férias nos moldes como todos a imaginam ser. Então não tô nem aí, todo dia pra mim é fim de semana com clima de feriadão. O que quero é quebrar essa ideia formada e tão certinha que para ‘aproveitarmos’ bem uma viagem precisamos de  conforto e das melhores comidas. Não existe isso, depois de um tempo vivendo sozinho, sei muito bem o que é melhor pra mim, e sei  o que não gosto, o que me incomoda e o que pode me prejudicar. Tudo pra mim nesse momento é uma grande diversão. Não é que eu tenha perdido o senso de perigo, esteja passando perrengue ou esteja louco. Acho que o ocorre é que, por me tornar cada vez mais otimista e acreditando que no final tudo vai dar certo, procuro me divertir e passear no meio do caminho!     

Um comentário:

Fabio. disse...

Rogerio, acompanho seu blog desde o ano passado, e ele tem me ajudado muito a planejar a minha volta ao mundo. Ja algum tempo tenho essa ideia, e como vc aconselha, estou buscando informaçoes. Tambem não me importo muito com esse lance de lugar pra dormir, ou comer em restaurantes 5 estrelas, minha vontade é conhecer pessoas, lugares e costumes.
Parabens cara,vou continuar acompanhando e espero que vc aproveite cada vez mais essa experiencia e nos passe as coisas como realmente são, e não como zeca camargo passa no fantastico.