Para o nosso bem


Ko Phi Phi – Tailândia, 21 de outubro de 2553.

É legal viajar assim, a favor do vento, a favor das nossas emoções. Estar em outro país, o tempo todo pesquisando sobre novos destinos, cruzando informações da internet com as informações do guia e de outros mochileiros...é uma vida que dá muito prazer, os mochileiros que estiverem lendo isso aqui irão concordar comigo...é outro estilo de vida estar sempre em trânsito. Nos faz refletir sobre o que realmente nos traz felicidade, e vamos reconfigurando nossos valores...como se cada coisa que vimos, sentimos e assimilamos vão sendo incorporados na nossa personalidade, depois de cada lance ( e durante uma viagem pelo mundo isso acontece com frequencia) é como se a gente clicasse no botão ‘atualizar’ de uma página da internet, e aquilo incorpora no nosso HD interno...
E quando você se expõe a um leque grande de situações diferentes, quando você dá oportunidade para o acaso lhe mostrar várias coisas , você vai tendo certeza do quê que gosta mais, do que você não gosta, do que gosta de fazer, ou seja, você decobre quem você é, e o que te traz felicidade! Não sei se estou enganado, mas acho que a gente veio pro mundo pra alcancar a felicidade, certo? Senão, qual o outro objetivo da vida? Qualquer outra resposta para essa pergunta, analisando a fundo, vai ser : alcançar a felicidade.
Muita gente vai envelhecendo, olhando o mundo pela televisão e não tem força de sair da estagnação, de se expor às mudanças, ao novo. O problema é que mais cedo ou mais tarde você vai ter que enfrentar alguma mudança, e não vai estar preparado. É a terrível ‘zona de conforto’...estado psicológico que faz as pessoas se sentirem seguras naquela situação, sem estar expostas a nenhum risco ou ansiedade, isso ocorre tanto no campo emocional, profissional, social...que faz a pessoa levar a vida empurrando com a barriga algumas situações desconfortáveis , incovenientes, ou cansativas com medo que dê algo errado em uma possível mudança....”pra que mudar? deixa assim que tá bom...é mais fácil, ...”.
Acho que foi por isso que depois que terminei a faculdade 10 anos atrás, com menos de uma semana me mudei pra uma cidadezinha no Amazonas, no alto Rio Regro, queria respirar novos ares...ali fiz muita coisa que nunca tinha feito, desde caçar jacaré de madrugada e comê-lo assado numa praia deserta na beira do rio bebendo cachaça, até visitar comunidades indígenas onde não se falava português e comer carne de anta com farinha sentado no chão junto com eles...E quando voltei pra Belém, depois de uns meses fui trabalhar num município onde nos últimos 5 anos mudei de casa 5 vezes, o mesmo em Belém...mudei também umas 4 ou 5 vezes. Nestes últimos anos, na verdade, como estava alternando entre Belém e o interior, passava 3 dias em cada cidade.Tem uns 3 ou 4 anos já que eu não durmo na mesma cama mais de 4 noites consecutivas!!!

Sair da zona de conforto faz trazer à superfície novas qualidades, novos valores, faz acordar para algumas necessidades que estavam escondidas em algum lugar dentro do nosso coração. Oxigena a mente para enxergarmos com mais nitidez nossos sonhos.Falando nisso... Por que que a gente perde tanto tempo na vida adiando nossos sonhos? Pensando que eles são impossíveis, ou pensando que tem que ‘primeiro arrumar a vida’ chegando numa ‘estabilidade’ pra depois fazer o que sonha? Por que buscar com tanto afinco uma estabilidade, se o que nos torna vivos e o que movimenta nossos sonhos é justamente o oposto: a novidade, as mudanças, as incertezas...isso que faz a cabeça pensar, que traz motivação para o dia-a-dia. Será que ter uma vida ‘estável’ e previsível, traz realmente felicidade? Será que quem tem uma vida monótona, sem novidades, fazendo sempre as mesmas coisas e sem sequer planejar nada diz que está feliz por puro comodismo?
Quando estava planejando minha viagem, me chamavam de louco, e eu perguntava: Qual é o seu sonho? Muita gente não soube me responder. Muita gente anda sem saber aonde quer chegar. Chega uma hora que a gente tem que parar tudo, e dizer: êpa! O que que eu tô fazendo no planeta terra? O que que eu quero pra minha vida pra chegar na felicidade? Pera aí, o quê me traz felicidade mesmo ? Temos que pensar nisso, para o nosso bem.



7 comentários:

anandinhagallo disse...

tava filosofando total,ainda nao tinha visto vc escrever assim.

tchobe disse...

Concordo muito contigo brother !! Boa sorte na sua viagem, em breve to me jogando pra esses lados também !! Abraços !!

Kahlyne disse...

Leio,

A cada post novo no seu blog é uma euforia aqui no Brasil, nós nos comunicamos pra saber se tem post novo e nos reunimos pra ler juntos as novidades que vc manda daí desse mundão, conhecer mais um belo lugar através do seu olhar e de suas palavras. Ao chegar em casa, ligar o computador (seu Blog é a minha págia inicial!) e ver que você esta em mais um lugar maravilhoso...caraca veio....é de arrepiar!

Beijo da cuh, Kahlyne!

Luiza disse...

parabéns pelo blog! acompanho todo os dias... estou planejando meu mochilão pela ásia (jan/fev 2012) também e está sendo muito útil!

Marcelo disse...

ei rogério!! Cara, esse teu post me emocionou, porque eu penso muito semelhante a vc, meu chapa. Isso é coisa de mochileiro mesmo. Muito legal o que vc escreveu. Perseguir o nosso sonho. As idéias de estabilidade. Cara, total!!!! Tô acompanhando tua viagem! Muito legal.. enquanto eu não vou fazer a minha grande viagem também.. hehehe..
abs!

Thiers disse...

Égua moleque, essa maconha daí é muuuuito doida, melhor que a de Amsterdam. Estamos acompanhando e curtindo sua viajem meu amigo. Grande abraço do Tchéury

Lucas Borghezan disse...

Iaew Rogério, td de bouua?

Irmão, gostaria de agradecer por vc ter registrado sua história nesse blog.
Encontrei ele a alguns dias pesquisando sobre mochilão e não consigo parar de ler, assim como vc tenho esse grande sonho de rodar o mundo, e "acompanhar" sua viagem mesmo que atrasado haeue, me fez acreditar e colocou um combustivel na minhas idéias.
Após ler esse post e fiquei emocionado, pois a vida de fato assim.
A partir de agora irei me focar na realização desse sonho (espero que em breve) e assim como vc deixarei tudo registrado.
Te desejo td de bom, que vc continue a realizar seus sonhos e a compartilhar o aprendizado adquirido com eles.
Gostaria de trocar uma ideia com vc se possível. e-mail: borghezanlucas@gmail.com