Pedalando no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro, 20 de abril de 2010.

Esse post não tem nada a ver com a volta ao mundo, mas foi uma viagem de aventura que merece ser registrada aqui no blog. Faz uns 4 meses que eu virei ciclista, desde uma viagem para Carolina-MA que levamos as bikes para fazer trilha para as cachoeiras... e desde lá tô me amarrando em pedalar. Daí surgiu a vontade de fazer cicloturismo, meu amigo Firmino foi meu parceiro nessa trip que rolou entre 15 e 20 de abril de 2010.

No primeiro dia, chegamos no aeroporto do Galeão às 6:30h, montamos as bikes no aeroporto mesmo e 7h já estávamos na estrada. Saímos rumo ao centro, depois fomos para o Largo do Machado, região onde eu morei até os 10 anos de idade, foi muito legal rever tudo aquilo: o prédio onde moramos, o colégio, o parque onde eu brincava... foi uma regressão de 20 e poucos anos muito gostosa. Na verdade, eu já tinha voltado lá há uns anos mas cada vez é diferente, tenho certeza que se eu voltar lá daqui a 10 anos, vou sentir uma outra sensação.

Então, de lá subimos até o parque Guinle, passamos pelo BOPE...seguimos subindo a Rua das Larangeiras e tentamos subir até o Cristo, só que no meio do caminho descobrimos que o acesso estava interditado devido a um deslizamento, aliás na semana passada as chuvas arrasaram com o Rio, causando a maior catástrofe de todos os tempos, sorte que as chuvas passaram 3 dias antes da nossa viagem, e o tempo ficou ensolarado todos os dias, muita sorte. Daí seguimos pela orla desde o Flamengo até o Leme, até aí tínhamos pedalado 65Km, onde o trajeto todo foi sentido a cada metro, é bem mais proveitoso rodar de bicicleta do que se fosse de ônibus ou metrô.

Ficamos até a noite em Ipanema, banhão no mar pra relaxar e voltamos pras Laranjeiras, que eu queria participar do encontro do Couchsurfig que rola no Mercadinho São José. Ah tá, Couchsurfing é uma comunidade na internet ( www.couchsurfing.org ) de viajantes onde você pode hospedar outros membros do CS em seu “sofá”, pede hospedagem, ou apenas participa dos encontros que existem por todo o mundo, é uma forma bem interessante de conhecer outras pessoas numa cidade onde você está sozinho, e pode ajudar bastante barateando uma viagem economizando na hospedagem...eu ainda vou comentar mais sobre o CS mais adiante. De lá já era meia noite e meia quando fomos pra Lapa procurar um hotel pra descansar um pouco, já que 5h tínhamos que pegar o busão pra Mangaratiba , de onde sai a barca pra Ilha Grande.

Resumo do dia: 85 Km pedalados, de 7h as 1 da manhã.

saindo do aeroporto do Galeão


na entrada do BOPE



2º dia – Sexta ; Acordamos 4h – pedal para a rodoviária...uns 8 Km só pra espertar!... Chegando na Ilha Grande (Angra dos Reis), um lugar muito lindo com mais de 100 praias de areia bem branca e água verde-transparente, deixamos as bikes em Abraão e entramos direto num passeio de barco passando pela lagoa verde, lagoa azul e outra praia para o almoço. Tivemos uma primeira mostra da ilha, ficamos maravilhados com a transparência da água, o que foi muito bacana quando fizemos snorkel na lagoa verde...nadando junto com peixes muito coloridos, tartarugas e corais. Conhecemos nesse passeio o Michel, um francês de 50 e poucos anos que tinha vendido tudo, e estava viajando pelo mundo, aí quando perguntavam pra ele aonde ele morava, ele apontava pra sua mala! Muito figurão o camarada. De noite, demos uma volta pela vila para pesquisar o roteiro do dia seguinte.

Resumo : aproveitamos o dia das 4h as 23h - 20 Km de pedal praia – snorkel ...



3º dia – Sábado >> 8h já estávamos numa trilha de bike para a vila de Dois Rios, 9 Km para atravessar a montanha e chegar na vila, sendo 4,5Km subindo e 4,5Km descendo. A etapa da subida foi bem difícil, muito íngreme, e a descida foi muito louca, chegamos a 45 Km/h, muita adrenalina, uns 15 minutos descendo chutado numa trilha...muito louco!

Na vila, visitamos o museu onde funcionava o antigo presídio de Cândido Mendes, fizemos uma viagem na história, um museu muito interessante com fotos desde a construção em 1839 (?), onde era uma colônia para doentes, passando a ser um centro de recuperação e depois se tornando prisão de segurança máxima... até ser implodido em 1994 pelo Brizola...com histórias dos presos políticos, cartas que foram interceptadas de alguns integrantes do Comando Vermelho, a guia também contou sobre a fuga de helicóptero do Escadinha... e outras estórias contadas pelos moradores da vila, que hoje são os ex-funcionários do presídio.

Depois fomos à praia de Dois Rios, imagina uma praia com um rio de cada extremidade, com águas vindas de uma cachoeira que se divide em dois cursos d’água e desembocam no mar, um lugar lindo. Voltamos para a vila de Abraão (+ 9Km de montanha) deixamos as bikes e partimos para um trekking para a praia de Lopes Mendes...2h e meia de pernada cruzando montanhas...voltamos de barco...só o bagaço!

Resumo: 20 Km de bike / 2:30h de trekking

Praia de Dois Rios


4º dia- Domingão >> Nesse dia nada de esforço, queríamos relaxar. Fomos fazer nosso batismo no mergulho com cilindro, uma coisa que eu queria fazer há um tempão...

Fomos para o melhor ponto de mergulho da Ilha Grande, na ilha do Jorge Grego. Meu irmão, mergulho é uma coisa muito doida!! Eu fiquei com medo de sentir dor no ouvido e tal...mas que nada, o instrutor te orienta legal, a gente vai compensando a pressão aí é moleza. Desci até 16 metros! É uma sensação diferente e maravilhosa estar debaixo d’água admirando as várias espécies de peixe, brincamos com ouriços-do-mar, estrelas-do-mar, uns corais, passamos por um barco naufragado...mas o ponto máximo foi nadar por vários minutos com uma tartaruga marinha, acompanhando todos os seus movimentos bem de perto . Foi tudo filmado! Depois, enquanto outros grupos mergulhavam fiquei fazendo snorkel. Esse dia valeu demais! O primeiro mergulho a gente nunca esquece!

Depois de ter feito mergulho, qualquer outra coisa seria sem graça, fomos embora da Ilha Grande no mesmo dia, e dormimos em Mangaratiba.



5º dia - segunda >> Pra variar 4:30h da manhã a gente já tava pedalando...voltamos pro Rio... 40Km pedalando por toda orla até a praia de São Conrado, onde é o point do voo livre. Depois de conhecer o fundo do mar, agora queríamos voar !!

Fizemos nossa inscrição como alunos aspirantes no “Clube São Conrado de Voo Livre”, você tem que assinar uns termos de responsabilidade e tal. Tudo Ok. Subimos a Pedra da Gávea para o salto: eu de asa delta e o Firme de parapente (que é tipo um pára-quedas dirigível). Cara o visual é extraordinário. O primeiro a saltar foi o Firme, deu um frio na barriga só de ver. Depois foi minha vez, meu instrutor foi o Beto, gente finíssima , recomendo a todos que queiram saltar de asa delta( www.betorotor.com ), treinamos a corrida para a decolagem e tal, algumas orientações ...já na rampa, engatado na asa, todo equipado, um nervosismo imenso !!... corrida igual tiro de 100m e uuuuuhhhhhuuuuu, só o que eu consegui fazer nesse momento foi gritar bem alto CARALHOOOOOOOOOO !!!!

Mermão, é uma adrenalina que eu nunca tinha sentido antes, foram uns 15 minutos de voo, o suficiente. Muita, mas muita adrenalina do início(principalmente no início!) até o pouso...é demais. Durante o voo, o Beto só de sacanagem, como eu tinha dito que era dentista , ele perguntava: tá nervoso? Quer uma anestesia? Aí fazia uma curva na asa delta, que eu só faltava colocar as tripas pela boca...

Depois disso fomos almoçar na favela da Rocinha e demos um rolê na praia da barra...

Resumo: 60 Km de bike – praia – asa delta




Mais umas fotos...





3 comentários:

Aninha Freitas disse...

Minha terrinha Natal. Nossa, você mergulhou... Maior vontade de fazer isso e de saltar de Paraquedas também!!! Um dia realizo...

Aninha Freitas disse...

Nossa vc está fazendo tudo que sempre tive vontade de fazer, viajar por aí descobrindo coisas novas,pessoas novas... Mergulhando... mas deixa que eu ainda vou fazer tudo isso, até saltar de paraquedas que tenho maior vontade!!! Bjinhos Ana.

Valena disse...

Fantástico. Cada relato seu, Rogério, fico arrepiada! Adorei o "caralhooooooooooooooooooo" kkkkkkkkkkkkk